14 dezembro 2012

90 minutos ou 2 gols

(Foto: Leonardo Soares/UOL)
Eles não vieram para jogar bola. Afinal, não sabem. Vieram para arrumar confusão, causar baderna, desrespeitar e tentar manchar o título tricolor, que era certo. Pois nisso, são graduados, acham lindo. E enquanto os baba-ovos continuarem a idolatrar essa covardia, ali estarão eles, fazendo de tudo em campo,  menos jogar futebol.

Tentaram, mas não mancharam. Apanharam. 

Se algo manchou, foi o vestiário, e de sangue. Pois enfim, tiveram o tratamento que mereceram. Finalmente, não foram recebidos com tapete vermelho, buquês e beijos nos pés. Finalmente, tiveram a confusão que queriam, mas não do jeito que a queriam. 

Se os seguranças bateram, é porque tiveram motivo. Não iriam enfiar a sapata se os barraqueirinhos não fossem arrumar quizumba no intervalo. Inteligente foi o São Paulo, que ordenou os homens de preto para fazerem tudo no vestiário, nas escondidas, onde por mais que não faltem indícios, não haverá prova alguma.

Sacaram revólveres? Talvez seria uma hipótese a se levar em conta, se não fosse o jornal Olé quem a levantou.

E então, os coitadinhos não voltaram para o segundo tempo. Bom para eles! Estavam tomando só de 2. Se voltassem, levariam de 6 ou 7.

Assim, foram humilhados no campo, onde já era esperado, e no caráter. Os "exemplos de valentia" de muitos daqui mostraram a real identidade. São perebas, pequenos e acima de tudo, covardes!

E não. Os são-paulinos não estão decepcionados pelo título ter sido do jeito que foi. Para que jogar toda a partida se todos já sabiam o resultado?

Seria mais legal, sim. Seria lindo ver o Lucas pedalando, fazendo embaixadinhas na linha de fundo e passando seu algodão sujo de sangue no rosto do bonitão que lhe deu a cotovelada. Seria ainda mais sensacional ver as tigresas revoltadas e, em minoria, apanhando.

Mas não aconteceu. Não interessa, também! O título não foi bonito, mas a história envolvida sim. E isso é o que importa.

Foi um título para mostrar que o conhecido futebol tricolor está de volta, que copeiro é copeiro e não importa se está no Morumbi, no Pacaembu, na Vila Matilde ou na Várzea. E por isso, nenhum show da Madonna atrapalharia a festa.

Foi um título para consagrar mais um ídolo no coração do torcedor. Um ídolo que certamente voltará, provavelmente antes dos 30, em seu auge, para aumentar ainda mais seu status.

A torcida são-paulina apelida, carinhosamente para quem faz parte, arrogantemente para quem é contra. Soberano!

Sim, soberano! Dominou um campeonato onde o único adversário que poderia lhe ameaçar saiu por uma pane de 20 minutos.

A final? Esqueça. Foi tão insignificante quanto "las bibas" que a protagonizaram.

Até porque, um 5 x 0 sobre o campeão do ano passado merece muito mais lembrança do que uma vitória na decisão sobre um time de pelada. 

E em pelada, 2 gols é fim de jogo.

Boa São Paulo!

Soberano.

Agora, campeão de tudo.

@_LeoLealC

5 comentários:

  1. Parabénsssssss Léo!!! Muito bom!!!!!

    ResponderExcluir
  2. ai mano ta quase um galvao kkkkkk
    boa sorte manoooo
    joao paulo bello aki

    ResponderExcluir
  3. " 2 gols é fim de jogo." ... kkkkkkkk
    Parabens cara, o campeao voltou e pra ficar!!!

    ResponderExcluir
  4. 5x0 foi na Universidad Católica, o campeão do ano passado foi Universidad do Chile

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas o 5 x 0 foi na Universidad do Chile. Contra o Católica foi 1 x 1 e 0 x 0.

      Excluir