15 maio 2013

"Mais 5 minutinhos, mãe?"

O rapaz começou o ano passado muito bem. Passou em 1º lugar num concurso semestral para no ano seguinte estar na faculdade mais desejada, aquela que todos brigariam no resto do ano pelas poucas vagas que haviam.

Aí ele se acomodou. Passou a se achar o rei da cocada preta, só queria saber de paquerar as menininhas, chegava atrasado nas aulas e foi suspenso por xingar o professor.

Esqueceu que tinha que terminar o ensino médio. Estava no terceiro ano e achou que tudo de errado que fizesse seria perdoado, já que a tal vaga estava garantida.

O ano foi passando e quando ele se deu conta, precisava correr atrás. No final, não deu. Repetiu de série e a tal vaga de nada adiantou.

Sua mãe, irritada, o colocou numa escola pior, um degrau abaixo das que costumava frequentar. Ele havia dado um passo atrás em sua vida, enquanto seus 11 amigos mantinham o rumo.

Suas férias, então, foram deprimentes. O que ele pensava ser o início de um ano daqueles, era um recomeço. Uma luta chata, que ele teria de encarar todos os dias para voltar ao topo.

No seu último dia de férias, o garoto deita pra dormir. Triste, é claro. Tudo que ele estudou pra conseguir foi por água abaixo, e por vacilo dele.

Então ele dorme e começa a sonhar.

Nesta universidade, o ensino era em 5 períodos. O primeiro mais longo, porém nem tão duro, para familiarizar o estudante. Os outros 4 eram curtos, mas de pura porrada, onde não bastava inteligência, era necessário esforço, muito esforço!

No seu belo sonho, ele estava na tal faculdade, que tanto queria.

E já no primeiro período, ninguém acreditava que ele fosse passar. Família e amigos estavam desanimados com as perspectivas do cidadão.

Mas ele superava as dificuldades e passava adiante.

Aí entra na fase da porrada e começa bem o segundo período, até que ele sente uma mão lhe cutucando e ouve um hino começando a tocar: "Quando surge o Alviverde imponente...".

Era seu despertador e sua mãe lhe chamando. Era hora de ir pra escola, refazer tudo, começar do zero.

Mas o sonho é tão bom que ele retruca: "Peraí mãe, já levanto!".

- Tudo bem.

E ele ainda consegue retomá-lo. Mas seu rendimento já não era o mesmo. Ele começa a se dar mal nas provas e começa a lutar para se recuperar. E quando vê uma pequena chance, de novo a mão, de novo o hino.

- Mais 5 minutos mãe, por favor?

- Não, senão você não acorda nunca.

- E minha faculdade? - com os olhos lacrimejando.

- Um dia você chega lá.

- Mas o sonho era tão real... - lágrimas caem.

- Vá a luta, que um dia ele será realidade.

- Mas, mas...

- Chega! Levante, vá buscar o que é seu e aprenda com o castigo que lhe dei.

Vida que segue, Porco...

@_LeoLealC

Foto: Lancenet

4 comentários:

  1. Uma puta criatividade cara, parabens!

    ResponderExcluir
  2. Palmas!!! Excelente meu brother, torço por você nessa vida de comentarista esportivo.
    Abraço!!!

    ResponderExcluir
  3. comentarista esportivo.

    ResponderExcluir